Did You Know?

Design biofílico - a natureza define padrões de design

A maioria das pessoas sente-se melhor quando está na natureza. Estar na natureza ajuda a nossa saúde e bem-estar, alivia o stress e influencia positivamente o nosso humor. Além disso, as experiências na natureza alargam o nosso conhecimento e incentivam a criatividade. A vida quotidiana moderna, por outro lado, não nos permite que passemos muito tempo na natureza. Vivemos e trabalhamos em ambientes urbanos. O conceito de design biofílico ajuda-nos a interligar o nosso ambiente urbano com a natureza, integrando analogias e princípios da natureza nos nossos espaços e na arquitetura.

De onde vem a denominação “design biofílico”?

Este termo surgiu com o tempo. Em 1965, o psicólogo social alemão/americano Erich Fromm trabalhou com o termo “biofilia” e definiu-o como o “amor pela vida” ou “coisas vivas”. Na década de 1980, o biólogo norte-americano Edward Wilson apresentou a hipótese de que as pessoas têm uma necessidade genética de estar em harmonia com a natureza. Stephen R. Kellert, professor de ecologia social, juntamente com um grupo de académicos, agarrou esta ideia e registou a expressão “design biofílico” - a noção de ligar os seres humanos à natureza dentro do seu ambiente construído.

Por que é que a integração do design biofílico é tão boa para nós?

  • Saúde física
    As plantas dentro de uma sala melhoram a qualidade do ar, pois absorvem fungos, substâncias nocivas e toxinas. Elas libertam vapor de água e tornam as pessoas menos vulneráveis a alérgenos e doenças respiratórias. Além disso, ajudam-nos a relaxar e reduzem a nossa tensão arterial.

  • Saúde mental
    O design biofílico reduz o stress e gera uma sensação de paz e relaxamento.

  • Produtividade
    A luz natural regula os ciclos de sono e fornece mais energia e produtividade. A integração dos princípios biofílicos aumenta a criatividade, o desempenho da memória e a capacidade de aprender. Além disso, permite-nos clareza de pensamento e pausas mentais.

Loading watson media player

Elementos biofílicos na arquitetura

O nosso desejo de viver com mais saúde também resultou num aumento do número de residências com elementos de design biofílico. Arquitetos, designers e engenheiros, bem como proprietários de casas, estão a colocar enfoque na saúde e bem-estar dos habitantes de uma casa. Ao fazer isto, toda uma indústria é incentivada a construir casas com características de design biofílico e a integrar o máximo possível de elementos naturais nas grandes cidades. Uma abordagem possível é adicionar plantas a todos os cantos imagináveis de uma cidade ou fachada de edifício. Elas fornecem proteção contra o vento e contra o ruído da cidade e, no verão, dão-nos sombra natural.

Este conceito ajuda-nos a criar um ambiente que, apesar da arquitetura industrial tão predominante e difundida, sempre se aproxima mais da natureza e tem um efeito positivo nas nossas vidas. A presença de ambientes naturais nas grandes cidades diminui o ritmo da vida quotidiana e ajuda a atenção e concentração.

A jardinagem urbana é um elemento adicional. Os habitantes de áreas densamente povoadas têm a oportunidade de plantar um jardim e, assim, ligar-se com a natureza. Por exemplo, lotes de terreno vazios em cidades, ilhas de tráfego negligenciadas ou pequenos cantos verdes num bairro, podem ser usados para cultivar flores ou plantar vegetais. Não há limites impostos aos jardineiros criativos. Os estilos de vida e a arquitetura criam a base para podermos viver e trabalhar perto da natureza, mesmo morando na cidade.

Elementos biofílicos em design de interiores

Os padrões de design biofílico podem ser aplicados muito bem em casas de banho, permitindo-lhe criar um local relaxante na sua própria casa. O melhor é estimular os cinco sentidos através do uso de:

Luz natural
Uma grande quantidade de luz natural pode ser obtida expandindo janelas ou clarabóias. Além disso, pode permitir que a natureza entre no seu espaço, proporcionando uma visão ampla do exterior, para o céu, as árvores ou o pátio das traseiras.

Plantas
Plantas de casa fáceis de cuidar, como o bambu, por exemplo, são mais adequadas porque fornecem um alto nível de humidade. Vasos de plantas grandes ou pequenos e cestos suspensos podem criar uma pequena selva privada.

Tons naturais
Cores que complementam as da natureza, como, por exemplo, azul, verde ou amarelo, são adequadas para têxteis e paredes. Cores escuras, terrosas ou brilhantes, bem como pisos de pedra ou madeira, são adequados para casas de banho.

Materiais naturais
Os componentes da  casa de banho, bem como o piso e as paredes, geram uma sensação confortável de espaço usando cortiça, pedra e madeira. Este ambiente é melhorado com decorações e objetos feitos de fibras naturais, como o vime.

Formas naturais
Ao evitar linhas demasiado rígidas e integrar formas orgânicas, como lavatórios ovais, banheiras curvas e papel de parede estampado com motivos botânicos, pode criar um design de ambiente muito próximo da natureza.

Temperatura do ambiente
Pode criar aconchego na casa de banho usando temperaturas confortáveis. Isso é possível alterando a temperatura das divisões e superfícies com piso aquecido.

Movimento natural
O brilho das fontes, os movimentos da relva e os elementos aquáticos que podemos ver, ouvir ou tocar podem aumentar o nosso conforto. Uma maneira de conseguir esse efeito, por exemplo, é adquirir um aquário ou taças de água decorativas.

Mais episódios

Stock picture_raindrops on water
Did You Know: Os sons de água
Touchless Faucets
Did You Know: Tecnologia Touchless
Stock picture_work on laptop
Did You Know: Disrupção digital
Stock picture_coins
Did You Know: 5 motivos para economizar água